Cachoeiratem

Switch to desktop Register Login

Cachoeiratem - Portal de Cachoeira do Sul

Sobre a Cidade

Cachoeira do Sul é um municipio do estado do Rio Grande do Sul, sendo o quinto mais antigo do estado, a ser emancipado e instalado em 1820. A origem de seu nome se deve a uma antiga cachoeira existente no Rio Jacuí. Sua população é estimada, em 2006, em 89.669 habitantes, sendo o 22° município mais populoso do estado. Sua densidade é de 24 hab./km². O município de Cachoeira do Sul situa-se na parte centro/sudeste do Rio Grande do Sul, faz parte da Microregião Geográfica de Cachoeira do Sul, que compreende, além do mesmo, os municípios de: Cerro Branco, Novo Cabrais, Pântano Grande, Paraíso do Sul, Passo do Sobrado e Rio Pardo. Apresenta uma superfície de 3.715,5Km2, situada entre os paralelos de 29° 39’ , 30° 38’ de Latitude Sul e os meridianos 52° 36’ , 53° 20’ de Longitude Oeste. Limita-se com o municípios de Paraíso do Sul, Cerro Branco, Novo Cabrais e Candelária ao norte, Encruzilhada do Sul e Santana da Boa Vista ao sul, Caçapava do Sul, São Sepé e Restinga Seca a oeste e Rio Pardo a leste Cachoeira do Sul possui uma geografia bastante variada: desde o relevo coxilhado (leves ondulações nas planícies) das partes meridionais até os morros e cerros nas partes setentrionais. O clima é, como no restante do Rio Grande do Sul, de característica subtropical e, segundo a Classificação do clima de Köppen, Cfa. A vegetação é típica dos pampas gaúchos, com campos e ilhas de mata, composta de eucaliptos e pinus. Já a hidrografia, seu símbolo é o Rio Jacuí, com freqüência de outros rios, além de açudes, lagos e arroios Atinge uma altitude máxima de 68 metros do nível do mar ao norte e uma altitude mínima de 26 metros na zona urbana. Encontra-se às margens da BR-153 e distancia-se 196 quilômetros da capital estadual, Porto Alegre. É a maior cidade às margens do Rio Jacuí e tendo um de seus apelidos como "Princesa do Jacuí". Cachoeira também ostenta o título de "Capital Nacional do Arroz". Em comemoração a isso, a cidade sedia a Feira Nacional do Arroz (Fenarroz), o maior evento orizícola das Américas e o segundo no mundo. O município também é o maior produtor de noz-pecã da América Latina. A economia do município é essencialmente agrária, sendo caracterizada como "cidade agropecuária" e tendo vocação para o agronegócio, por causa das várias lavouras de arroz, milho e soja e as diversas cabanhas (locais dedicados à criação de gado) presentes no interior do município.

. Curiosidades

  • Cachoeira do Sul é um dos dez municípios do Brasil com a maior produção, maior produtividade por hectare e melhor qualidade de arroz irrigado;

  • O município possui uma jazida de cromita que totaliza 10 milhões de dólares;

  • É o único município brasileiro onde encontram-se todas as subespécies de gato-do-mato;

  • Cachoeira possui o oitavo maior parque gráfico do Rio Grande do Sul, devido ao grande número de gráficas (cinco), além das gráficas próprias dos dois jornais da cidade;

  • A Ulbra/Cachoeira do Sul possui uma equipe de profissionais especializados em paleontologia. Esse grupo foi quem descobriu, em Agudo, município próximo a Cachoeira, os fósseis de um dos dinossauros mais antigos do planeta: o Sacissauro;

  • Cachoeira possui uma tradição própria: as famosas encrencas, massas caseiras com aspecto parecido com cascas de sorvete e que são vendidos por pessoas sempre munidas de sinos para alertar os consumidores. Geralmente carregam elas em uma espécie de tambor levado nas costas ou nos ombros;

  • Em 1999, um concurso promovido pelo Jornal do Povo, o ingazeiro foi escolhido como árvore-símbolo da cidade.

  • Conheça um pouco mais sobre a história de Cachoeira do Sul. Clique aqui, para assistir a apresentação.


ORIGEM

O Município de Cachoeira do Sul possui sua origem ligada a um dos Sete Povos das Missões, ou seja, a grande "Estância de São Luiz Gonzaga" que, no século XVII, prolongava-se pela parte oriental e margem esquerda do rio Jacuí até o rio Taquari.
Com o “Tratado de Madri”, em 1750, Portugal e Espanha definem suas áreas de domínio na América. Pelo tratado, a Espanha trocou os Sete Povos das Missões, na margem esquerda do rio Uruguai, pela Colônia do Sacramento dos portugueses. Essa decisão foi tomada pelos reis de Portugal e Espanha, sem levar em consideração os interesses dos jesuítas e seus catequizados. Os índios missioneiros se revoltaram contra os espanhóis, portugueses e os padres, devido as novas condições impostas por aquele tratado, ocasionando o conflito denominado como “Guerra Guaranítica”, entre 1754 e 1756. Vencidos, os índios são obrigados a abandonar as reduções, muitos voltaram para a margem direita do rio Uruguai, outros passaram a viver da forma primitiva e, alguns, levados pelos portugueses, ajudaram a criar várias aldeias, como por exemplo a de “São Nicolau da Cachoeira”.
A partir de 1750, se efetivou o povoamento de Cachoeira através da doação de sesmarias à soldados portugueses. Estes, receberam vastas extensões de terras com grande número de cabeças de gado xucro da Vacaria del Mar, formando-se as primeiras estâncias bovinocultoras.
Em 1753, começaram a chegar os açorianos. A província recebeu-os como reforços ao povoamento da antiga região das Missões. Isso não se concretizou pois os açorianos dissiparam-se pelo Rio Grande e um grupo estabeleceu-se nas margens do rio Jacuí em pequenas propriedades minifundiárias.
Alguns índios missioneiros foram recolhidos pelos portugueses e aldeados nas proximidades do Cerro do Botucaraí e, em 1769, foram transferidos para o Passo do Fandango, onde costruíram uma pequena capela dedicada a São Nicolau, na localidade denominada até hoje de “Aldeia”.
Os habitantes da Aldeia, estabelecidos junto a pequena Capela de São Nicolau, deram início ao núcleo urbano próximo ao rio Jacuí, donde eram avistados as quedas d’água presentes em seu leito, induzindo os moradores a chamar o lugar de “Cachoeira”.
Em 1769 o lugar era oficialmente denominado de "Capela de São Nicolau" e em 1779 passou à "Freguesia de Nossa Senhora da Conceição". Estimulada pela passagem de tropas e viajantes, constitui-se no centro de uma região em constante desenvolvimento. Em 5 de agosto de 1820, obteve a sua autonomia política e administrativa, tornando-se o 5° município da Província de São Pedro do Rio Grande do Sul, denominado de "Vila Nova de São João da Cachoeira", a qual mantinha centralizada as decisões administrativas das freguesias de Santa Maria da Boca do Monte, Alegrete, Livramento, São Gabriel e Caçapava.
O processo de organização política, administrativa e social, foi implantado logo após o estabelecimento do município de Cachoeira, em 1820, com a eleição dos vereadores João Soeiro de Almeida e Castro, Joaquim Gomes Pereira e Francisco José da Silva Moura, juntamente com a ocupação dos cargos de juizes e escrivães.
Em 1927, o território municipal foi parcelado em dez distritos, ou seja, Cachoeira, São Nicolau, Cruz Alta, Piquiri, Irapuá, São Lourenço, São Rafael, Formigueiro, Estiva e Águas Mornas.
Atualmente o município de Cachoeira do Sul é formado por seis distritos: a sede Cachoeira do Sul, Barro Vermelho, Capané, Cordilheira, Ferreira e Três Vendas.


Referências Turísticas
 
CHÂTEAU D’EAU

Foi inaugurado em 1925,com a finalidade de levar a água por gravidade ao reservatório de distribuição à rua Julio de Castilhos e regular ao mesmo tempo, a pressão de água na zona mais elevada.

IGREJA MATRIZ NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO

Em 06 de outubro de 1793, ocorreu o lançamento da pedra fundamental, com a presença do pároco da Freguesia,Matheus da Silveira Souza e comunidade.

Construída a cargo das Irmandades de Nossa Senhora da Conceição e do Santíssimo Sacramento, a nova igreja foi inaugurada em 1799,com o traçado original do engenheiro João Róscio.

PREFEITURA MUNICIPAL
Pela Portaria nº 2, de 02 de janeiro de 1861,foi aprovada pela Presidência da Província, a proposta, apresentada por Ferminiano Pereira Soares, da construção de um sobrado que comportasse espaços para as sessões da Câmara Municipal , Júri e Cadeia da Vila da Cachoeira.
O Paço Municipal foi entregue à Câmara Municipal em 06 de agosto de 1865, prédio em estilo colonial português, com características neoclássico e serviu inicialmente,como hospital, durante a Guerra do Paraguai, a pedido de D. Pedro II
Até 1922, foi sede do Poder Judiciário e até 1982 do Poder Legislativo
 

CÂMARA MUNICIPAL

O prédio da Câmara Municipal, construído conforme planta do arquite to Domingo F. Rocco, foi ocupado pelo Banco da Província em 1927. Possui 2 pavimentos em estilo predominante neoclássico,representati-vo das construções da época.
A partir de 30 de janeiro de 1983, a Câmara Municipal passou a ocupar o prédio , adaptado às novas funções e , por Resolução nº 16,de 21 de junho de 1983, o mesmo passou a denominar-se Palácio Legislativo João Neves da Fontoura.

FONTE DAS ÁGUAS DANÇANTES

Idealizada pelo cachoeirense Artibano Savi, foi inaugurada em15 de maio de 1968,conforme planta elaborada pelo arquiteto Dr. Flávio Figueira Soares, de Porto Alegre. É composta por um conjunto de diversos chafarizes que, a projetarem a água ,formam 140 movimentos diferentes ao som de música. Foi denominada Fonte das Águas Dançantes "Artibano Savi" pela Lei municipal nº1298, de 15 de maio de 1968.

CASA DE CULTURA PAULO SALZANO VIEIRA DA CUNHA

O prédio foi construído em 1915, para residência do proprietário Dr. Balthazar de Bem, em estilo eclético, com tendências marcantes do neoclássico. Possui saguão decorado com colunas e capitéis, teto móvel de estrutura de metal e vidro. De 1924 a 1957 abrigou o Clube Comercial. Sucessivamente, a partir de 1957, sediou a Biblioteca Pública Municipal, o Auditório Municipal, o Núcleo de Filatelia, o Aeroclube de Cachoeira do Sul, a União Cachoeirense de Estudantes, a Escola Municipal de Belas Artes, a Associação Cachoeirense Pró Ensino Superior e a Funvale. Após a restauração em 29 de junho de 1999, recebeu a denominação de “Casa de Cultura Paulo Salzano Vieira da Cunha”. Hoje sedia a Biblioteca Pública Dr João Minssen, o COMPAHC, a AMICUS, o Conselho Municipal de Educação e a Associação Cachoeirense de Cultura Italiana.


 

PARQUE MUNICIPAL DA CULTURA
Abriga o Museu Municipal, o Jardim Botânico e o Zoológico Municipal. A casa, um exemplar característico do século XX, bastante eclético, sofreu algumas reformas e trabalho de restauração, é a sede própria do Museu Municipal. O Galpão Farroupilha, próximo à casa, coberto com Santa Fé, serve também de ambiente para exposições localizadas.
PONTE DE PEDRA
Construída por volta de 1848 sobre o rio Botucaraí,foi a primeira ponte deste tipo no Rio Grande do Sul.
Principal e único acesso para Porto Alegre, dava passagem aos viajantes e ao importante comércio estabelecido entre Cachoeira, Rio Pardo e outros municípios.
O trajeto utilizado para atingir a ponte , a partir do centro da Vila, era feito pela Rua do Corpo da Guarda, hoje Conde de Porto Alegre.
PONTE DO FANDANGO
fandango.jpgA Barragem Ponte do Fandango foi construída pela Brasília Obras Públicas S.A., tendo, entre os engenheiros responsáveis, Pedro Paregot de Souza e Helmuth Bilmann. A barragem, com eclusa para elevar e baixar as embarcações, possui 83 metros de comprimento, 15 metros de largura e 10 metros de profundida de permitindo passagem de até três barcaças. A Barragem Ponte do Fandango foi inaugurada em 25 de janeiro de 1961, na BR 153.
AEROCLUBE DE CACHOEIRA DO SUL
Foi criado em 1941. O Aeroclube de Cachoeira do Sul localiza-se no Aeroporto Nero Moura, na estrada da Ferreira.
A pista asfaltada do aeroporto foi inaugurada em 1994. Oferece alguns atrativos como paraquedismo, planadores, voôs panorâmicos e escola de aviação agrícola.
PARQUE DA FENARROZ
Localiza-se no Parque do Sindicato Rural Dr. Ivan Tavares. Sedia um pavilhão de dois andares para exposições e vendas de produtos industrializados e para o comércio em geral, durante o período de FENARROZ, EXPOCENTRO e FEIRA DE OVINOS; um pavilhão de exposição de animais de grande e pequeno porte; local para remates de gado em geral; local para rodeios; pavilhão de alojamentos com modernas instalações; o Ginásio D. Pedro I - com local para shows de grande porte, bailes, com banheiros masculino e feminino, camarins para os artistas, auditório separado e sala de convenções. O Ginásio da FENARROZ tem capacidade para cinco mil pessoas.
PRAIA NOVA
A 3 Km do centro , ma margem direita do rio Jacuí, encontra-se a Praia Nova , um dos principais pontos turísticos da cidade.Frequentado por inúmeros visitantes, o local dispõe de restaurantes,área de camping, quadras de esportes e uma barca para transportes de passageiros.

 

IGREJA MATRIZ DE SANTO ANTÔNIO
Estilo que lembra fortemente o barroco bávaro, tanto na decoração quanto externamente. A benção solene de inauguração da Igreja teve lugar nas festas de Cristo Rei, em outubro de 1937.
TEMPLO MARTIM LUTERO
O templo Martim Lutero foi Inaugurado em 19 de abril de 1931, em estilo gótico, com alterosa torre que abriga três grandes sinos, uma nave que comporta cerca de seiscentas pessoas e seu aspecto externo com largas arcadas e ogivas, lembra os tradicionais templo da velha Europa.
JARDIM DA INFÂNCIA DO COLÉGIO SINODAL BARÃO DO RIO BRANCO
Construído no período de 1916/1917, foi tombado por ser representativo do modo de construção de segmentos da sociedade de ascendência germânica no início do século XX. Foi sede da primeira casa de formação de Pastores Evangélicos do Brasil.
PRAÇA JOSÉ BONIFÁCIO
Sua primeira denominação foi Praça do Pelourinho.Os trabalhos de demarcação tiveram inicio em 1830 e foram concluídos em 1948.
PASSO REAL DO CAPANÉ
Situa-se no limite da localidade de Piquiri com o Distrito de Capané,constituindo-se no passo mais antigo do Arroio Capané. A partir dele, a estrada conduzia à Estância da Capelinha. No dia 2 de março de 1836,houve ali um combate entre forças farroupilhas,lideradas por João Manoel de Lima e Silva, e forças legalistas lideradas por Bento Manoel Ribeiro.

ESTÂNCIA DA CAPELINHA

Localizada no distrito de Capané, uma construção antiga, datada do inicio do século XIX.
Em 2 de março de 1836, as tropas legalistas derrotadas no Passo Real do Capané, refugiaram-se na Estância da Capelinha.

ESTÂNCIA DO LAJEADO

Segundo documentos do período Farroupilha, a Estância do Lajeado serviu de local de estacionamento das tropas. Sua sede é datada de 1830. A particularidade deste sítio é sua permanência em propriedade de uma mesma família, descendente de Cândido Ouriques. Por este motivo, possui documentos de raro valor histórico, como armas, móveis e outros objetos.

Última atualização em Sábado, 26 Janeiro 2013 14:36

Acessos: 2750

Cachoeiratem ©Todos os direitos reservados.

Top Desktop version